Análises [7]

Foi aí que eu me dei conta do quanto a gente se esforça para fazer a coisa certa,dizer a coisa certa – e a pergunta que não quer calar é:certa pra quem?Ou:certa por quê?
O mundo está cheio de regras, que vão desde o nosso guarda roupa,passando por cosméticos e dietas, até o que vamos dizer na entrevista de emprego, a bebida que devemos pedir no restaurante, o desempenho sexual que nos torna parceiros interessantes, o celular que dá status, a idade que devemos aparentar.Obedecer,ou acertar, sempre é fazer um pacto com o óbvio, renunciar ao inesperado.
O filósofo Mario Sérgio Cortella conta que muitas pessoas se surpreendem quando constatam que ele não sabe dirigir e tem sempre alguém que pergunta:”Como assim?!Você não dirige?!”Com toda a calma,ele responde:"Não,eu não dirijo.Também não boto ovo,não fabrico rádios-tem um punhado de coisas que eu não sei fazer".Não temos que fazer tudo que esperam que a gente faça nem acertar sempre no que fazemos.
O certo ou o “certo” pode até ser bom.Mas as vezes preciso de um descanso de tanta cobrança.


Leave a Reply