Máximas e Reflexões [9]

Sobre a formação da individualidade

Já faz bastante tempo que li o Pequeno Príncipe.Mas,voltando a pensar no assunto e relendo algumas páginas, aqui e ali, sempre acabo tirando uma nova conclusão sobre aquilo que nem pensei antes.Ou pensei diferente.Nem sei.
No livro, a raposa ensina ao Pequeno Príncipe a importante lição de que as coisas só ganham sentido quando se conhece a amizade. O Pequeno Príncipe compreende que apesar de o mundo ter milhares de rosas, a rosa do seu planeta era especial, pois somente ela mantinha o seu amor e seu afeto.Ela era única.
Mas de fato,como se dá o "ser único"?É estranho pensar que o processo de individuação não esteja ligado somente ao próprio sujeito que busca este estágio.Na verdade,não depende só de nós.Tornar-se individuo só é possível quando existe o outro. Não é possível ser único, se não for para alguém.
Lá no livro a raposa diz: “o essencial é invisível aos olhos”. Isso,para mim diz que a individualidade se faz nas pequenas coisas, nos detalhes que muitas vezes são esquecidos. É através do afeto direcionado ao objeto que faz com que ele se torne diferente dos demais objetos. Um jeito de sorrir, um pequeno defeito, ou mesmo uma mania apaixonante são os reais responsáveis por que a criatura possa ser, então, considerada única. Do contrário, sem estes atestados de afeto tão simples e quase imperceptíveis, todo o resto seria desperdiçado e o indivíduo não passaria de mais um entre muitos.
Como diz o Pequeno Príncipe, “o que torna belo o deserto é que ele esconde um poço em algum lugar”. Quando ganhamos um presente, ele carrega o sorriso de quem o deu, a expectativa no desembrulhar. Se fosse somente o presente em si, este não seria nada além de uma casca.
Eu no fim nem sei porque estou escrevendo sobre isso hoje,mas acho na verdade que poucos são os capazes de desfrutar destes pequenos detalhes.A maioria acaba acreditando que as cascas são o conteúdo que buscam.E isso me deixa triste. Mas, prefiro que o próprio Pequeno Príncipe dê seus conselhos:

“_ Os homens de teu planeta cultivam cinco mil rosas num mesmo jardim... e não encontram o que procuram...”
“_ E, no entanto, o que eles procuram poderia ser encontrado numa só rosa, ou num poço de água.”
“_ Mas os olhos são cegos. É preciso ver com o coração...”
(Com carinho para Clarissa,minha amiga diferente.  =P)


One Response to Máximas e Reflexões [9]

  1. Querida!

    obrigada, fico lisonjeada em ser considerada uma amiga diferente =)... (tu vens tb de um planetinha vizinho ao meu e ao B612)

    é muito raro encontrar alguém que tenha ao mesmo tempo esse cuidado amoroso com as pessoas e busque as respostas mais em si e no que sente para viver. que saiba da preciosidade dos afetos e tenha coragem de ser mesmo pura e ingênua ao se expor espontaneamente sem esperar compreensão.

    (porque é mais fácil encontrar externamente as respostas falsas e é mais fácil se contentar com a inércia e com a mediocridade de se conformar a tudo o que esperam os que fingem saber...)

    e que aceita o sofrimento que acompanha aqueles que de fato vivem, lágrimas que são a chuva necessária para que da terra possam brotar flores.

    tua força e leveza coexistem de um modo luminoso e sei que superarás a aridez das coisas mortas. os caminhos tem pouco brilho e poucas flores e precisam das pessoas que os possam espalhar...

    confio em ti porque teus olhos enxergam o invisível essencial da vida.

    ResponderExcluir