Boom!!

Paixão não é amor. Amor dá sentido, paixão faz tudo perder o sentido.Amor é um sexto sentido, paixão é cinco sentidos a todo o vapor. Amor é aquilo que se constrói na cratera aberta pela bomba atômica da paixão na tua vida.
Dá pra ter os dois ao mesmo tempo? Acho que dá. Deve dar. Mas também se pode optar por um deles quando a gente não tem estrutura para o outro.
Todo mundo sabe que falo muito de amor.Que acho o amor uma coisa, de verdade. Mas agora, eu não tô podendo com ele. Peguei raiva.
Porque o amor de repente se tornou um policial. Eu levei um enquadro e o amor falou pra mim: " Tudo que você disser poderá ser usado contra você." E foi mesmo.
Não dá pra colocar intensidade. Basta ser intenso para alguém confundir tudo. Eu sei, eu já fui a que confundiu. A diferença é que quando eu confundo eu não transformo isso em verdade absoluta. Eu sou dona de me confundir com pessoas idiotas, mas em momento nenhum eu me esqueço que essas pessoas são idiotas. E eu sou claramente idiota. Mas de vez em quando eu tenho lapsos de lucidez e bondade. Aí fode tudo, nego começa a achar que eu sou uma alma perdida que necessita de salvação.

EU NÃO QUERO QUE NINGUÉM ME SALVE.

Até porque, salvar de quê? De mim mesma? No, thanks. Me salvar de mim é me roubar de mim, e apesar de eu não ser a melhor das companhias pra mim mesma, eu pretendo continuar comigo. Eu não sou refém. Ninguém é. E quem fala que é, tá mentindo.
Eu não quero o julgamento. Eu não quero que fiquem jogando na minha cara tudo que eu faço de errado e transformando alguns dos meus transtornos comportamentais em desvios de caráter gravíssimos, jogando pra cima de mim a culpa com um "nunca mais faça isso!"
Mas também não quero que não me peçam nada, que não briguem comigo nunca, que me coloquem num altar, numa redoma - numa jaula. Não quero que criem expectativas que eu nunca estarei à altura, me sufocando.
Eu quero o tratamento dos meus melhores amigos. Que conhecem as minhas limitações e o meu potencial, me dão esporro quando eu estou errada e deixam eu chorar no ombro deles quando eu apanho sem motivo.

Na verdade, eu só queria dizer mesmo que nesse momento da minha vida, eu quero a bomba atômica. Quero que destrua absolutamente tudo em mim, que me puxe, me pegue pela cintura, me deixe sem reação e de joelho mole.Eu quero devastação.
Quero tudo, até cansar de tudo.Até ficar esgotada. Até pedir por piedade.


Leave a Reply