Se eu fosse homem II

Aháá, hoje eu tenho assunto!! E como tenho!
Tinha na verdade escrito um post que ia chamar "15min".Daqueles que a gente escreve compulsivamente, sem nem ordenar as palavras direito, só pelo bem do desabafo mesmo.Mas aí me acontece uma hoje que merece um escrito...e né, meus 15 min estão ali nos rascunhos...vai ficar pra outro dia.

Hoje quero escrever (de novo),como se eu fosse homem.

Se na próxima vida - caso houver - eu cair nesse mundo - caso ainda exista - sob o corpo, a cabeça e tudo mais de homem, garanto: só vou me interessar por mulheres de trinta.Nada de garotinha, sainha curtinha, franjinha e espinha: iria querer uma mulher de trinta e todos os seus superlativos.
Foi Balzac, lá pelos 1800, em seu romance "A mulher de trinta", que criou, semquererquerendo, a expressão "balzaquiana". Ao contrário do que muita gente pensa, (as de vinte e as de quarenta, certamente), o termo não é pejorativo. Balzaquiana é, por definição, mulher de mais ou menos trinta anos, ou seja, mulher de excelência.Em um pódio, no degrau mais alto.Numa festa, atrai os holofotes.Na mesa, não precisa falar besteiras ou aumentar o volume para atrair a atenção para si.
'Ainda que feia, a mulher de trinta sabe como ficar bonita.A diferença entre as de vinte e as de trinta é que a segunda sabe como se passar pela primeira. Mas pra quê?
Eu - homem - sei que iria cortar um dobrado para impressioná-la.Esconderia defeitos, faria promessas, tentaria qualquer coisa para convecê-la de que meu DNA carrega bons genes.Eu homem, sou capaz de entender a alma feminina,sou inteligente, romântico, sensível.Tenho alguma responsabilidade e bom humor.Uma mulher, ao atingir os trinta, eleva seu nível de exigência até com o blush que lhe pinta as maçãs do rosto - quem dirá com uma companhia para uma noite de lua?
Eu, bobo; ela, dona de si, dona do sim e do não.A balzaquiana me coloca no bolso.Entra em seus vestidos que não mostram demais, mas insinuam.Quero responder as suas perguntas e rir das suas histórias.Se por um acaso, eu não telefonar no dia seguinte,sei que me arrependerei em seguida e pelo resto da minha vida medíocre.Eu - homem, me curvo diante dos seus feitiços.
Na horizontal, é ainda melhor.Já brincou de médico e casinha.Já teve 9 1/2 semanas, mas não se importa de repetir cenas de amor.Aos trinta, ela não tem frescuras.Tem a manha.Rainha do rebolado e dos afagos que jamais senti.A mulher de trinta fica por cima. A mulher de trinta tem peito para fazer o que der vontade, sabe do que gosta e não tem vergonha de dizer.
Ela guarda cartas na manga, já vem com vida própria, é infinitas possibilidades e passa creme antes de dormir. Mata barata, banca seus luxos e conhece a regra do impedimento. Ainda que feia, a mulher de trinta sabe como ficar bonita. A diferença entre as de vinte e as de trinta é que a segunda sabe como se passar pela primeira. Mas pra quê?

Se na próxima vida o Y ganhar do X, e eu nascer homem, ah, minha mulher, minha querida, minha diva, eu aprendo a cozinhar só pra fazer um jantar para você.Faço curso de degustação, decoro Fernando Pessoa.Você, depois de meia garrafa, tira as sandálias e fica mais alta.Eu, tomo o último gole e mato minha sede em você.
Se eu tivesse nascido homem, só irira querer dividir a minha vida com uma mulher de trinta.As meninas melosas e choronas, essas eu já dispensaria no ato.E se por uma incalculável imprudência do destino, um dia viesse a me interessar por uma garota, duraria o tempo de estranhar meia dúzia de gírias e me sentir no jardim da infância, esperando o sinal bater.
Tudo isso porque na semana passada escrevi um post, assim na provocação mesmo, e resolvi fazer uma ode, ainda que irônica, às jovens de 18 e 21 anos.E hoje escuto uma das boas, visto minha camiseta dizendo "MORRI" e venho aqui para, novamente, escrever como se eu fosse homem, fazendo a contrapartida para as mulheres de 30.Mas com sinceridade, eu tenho lá minhas dúvidas sobre minhas preferências caso tivesse nascido homem.Em primeiro lugar, porque sou péssima em situações hipotéticas.E depois porque tenho um palpite que, se eu fosse homem, não iria perguntar a data de nascimento antes de escolher o meu par.
De tal sorte que , se eu tivesse nascido homem, e disso eu tenho certeza, iria me apaixonar pela mulher de trinta que você faz surgir em mim, a mulher em que me transformo quando estou ao seu lado,só nós dois, de madrugada.Quando você me olha e eu entendo tudo.


One Response to Se eu fosse homem II

  1. Perfeito Cami... como sempre! Me encontro nas tuas ideias e opiniões! Bjooo

    ResponderExcluir