É pra esquecer alguém

Quando decidi esquecê-lo, era tarde, eram três da tarde, era esquecer ou passar outras tantas tardes nubladas como aquela, apesar do sol quente do lado de fora, na rua.Abri a janela determinada a arrancá-lo do meu peito.
"A primeira providência foi a mesma das heroínas das novelas: me desfazer das lembranças.A diferença é que as mocinhas das oito, jogam as lembranças fora,para,nos últimos capítulos,colá-las com fita adesiva e assim retomar a felicidade.Preferi guardar todas elas, as minhas lembranças, dentro de uma caixa de papelão imaginária, que não podia ter motivos alegres (florzinhas) ou tristes (chapada em preto), mas sim uma aparência neutra (listras azuis e verdes num fundo bege), onde guardei também, além das lembranças, as cartas não escritas e as fotos dos lugares que nunca visitamos juntos, a não ser na minha imaginação.Minha caixa imaginária era alta, do tamanho de uma gaveta, porque minha imaginação, bem como meu desejo, também sempre foram altos.As fotos eram muitas,flagrantes momentos de paixão que talvez não se tenha notícia novamente ao redor do mundo.Mas, não convém tocar nesse assunto pelo risco de recaídas."
"Enquanto descia a escada de alumínio depois de guardar a caixa das lembranças no armário mais alto da minha imaginação, comecei ao mesmo tempo empurrá-lo, sua presença, para um canto escuro da minha cabeça, onde ele sempre fora espaçoso, desde o dia em que nos conhecemos.Em seguida, tirei o reflexo dele, que ainda estava no espelho que não existe no banheiro.Passei vidrex.E desembrulhei um sabonete de limão com o qual tirei as impressões digitais dele do meu corpo,principalmente no entorno da cintura."
"Apaguei o número dele do meu celular para não correr riscos nas noites insones que se seguiriam, comprei lençóis novos e me tranquei no quarto.Chorei muitas lágrimas-o processo de esquecer é para mim lento e doloroso ao extremo, ainda que eficaz.Comecei baixinho até chegar aos soluços, e depois voltei ao comedimento,por pura vergonha dos vizinhos.Passados alguns dias,não mais que nove, enxuguei as lágrimas com lenço descartável e dormi com os olhos mais fechados do que o comum."
"Foi quando chegou o momento mais importante, que embora alguns não se dêem conta e daí lamentem as tentativas fracassadas de esquecimento, é inerente ao processo de esquecer alguém: expulsá-lo das minhas memórias,arrancar nossos momentos da minha lembrança,tirá-lo dos meus pensamentos com rigor militar."
"A partir desse dia, todas as vezes que pensava nele me obrigava a pensar em outra coisa - sopa ou sorvete,fim de tarde,parábolas matemáticas - mas ainda essas coisas me traziam um pedaço dele.Determinei que não poderia pensar nele por mais de três segundos, e , para tal, lancei mão de outros temas nos quais pensar senão nele,como o funcionamento de uma hidroelétrica, a reprodução dos animais invertebrados e a possibilidade de vida extraterrestre."
"Pedi aos mais próximos e amigos em comum, que não tocassem no nome dele na minha frente e que me fizessem calar se, num deslize, eu mesma trouxesse as falas dele para alguma conversa.Ficou terminantemente proibido que eu chamasse o nome dele à noite,bem como eu sussurrasse palavras de amor para que ele ouvisse em outra cidade."
"Esquecer alguém exige apagar alguns momentos, butecos, músicas, danças e palavras, numa varredura que limpa e também assombra, pelo vazio que deixa.A saída é preenchê-lo com futuro,novos projetos,viagens(que é o que fazem as mocinhas das novelas),bebida, filmes(comédias nunca românticas), amigos e um eventual beijo em estranhos,por mais superficiais que eles pareçam ser.
"Rasguei as folhas do calendário, empurrei os ponteiros do relógio, não dei ouvidos ao polvo, mas não adiantou muito visto que a última parte do processo de esquecimento está além da vontade humana: é o passar do tempo, que deve carregar no vento qualquer poeira de carinho por ele que ainda suja o meu peito."

-Demorou quanto tempo?
-Na sua vida, meses.Na minha, anos.
-Foi difícil?
-Difícil é querer outra pessoa.



2 Responses to É pra esquecer alguém

  1. É assim mesmo, dessa forma que tenho vivido =s Mas nos levantamos, tenho certeza. ótimo texto.

    ResponderExcluir
  2. Obrigada, querida! Levantar afinal é preciso...nem que seja pra tornar a cair. Um beijo.

    ResponderExcluir