O mundo está cheio e eu também.

Cerca de dez minutos depois que trocamos nosso último beijo - cientes da possibilidade da demora de um próximo - ,vieram as dores no corpo. O peso nos braços evolui para o esmagamento involuntário do coração pelas costelas.É que as vezes não caibo dentro de mim mesma.


Reprise: uma moça senta ao meu lado no ônibus e leva a mão ao rosto.Me olha (parafraseando Lobão) 'como quem pede desculpas pra si mesmo'. Lhe devolvo o olhar enternecido com a pergunta 'posso te ajudar em alguma coisa?', mas me calo.Ela chora.Silêncio.


Há silêncios que dizem mais que frases inteiras.E este disse que sim, eu percebi a tristeza nos olhos dela; eu permiti a tristeza nos olhos dela;eu me calei diante da tristeza dos olhos dela.
E quando então vou embora,já preciso descer nessa parada, eu a fito e meus olhos lhe dizem que espero que fique bem.Mais uma vez, sem palavras: ela dá uma espécie de suspiro - não de alívio, mas de agradecimento.


O mundo está cheio de relacionamentos sem palavras e eu também.Sobram gestos,intenções, abraços, risos, prazeres, hematomas, massagens.Faltam palavras que, feito um laço de fita, amarrem tudo isso.Expliquem. Comprovem.Ou esclareçam.Frases curtas.Palavras que ficam guardadas dentro do peito, apertadas contra as costelas.
Já ouvi dizer que o silêncio adormece a paixão.Sendo assim, seria correto dizer que as palavras a fomentam.
De tal sorte que sigo falando, na expectativa de, um dia, escutar uma resposta.


One Response to O mundo está cheio e eu também.

  1. Tomara que um dia encontres um homem de verdade. E tomara que emerja um amor profundo e corajoso de verdade entre vocês, sincronicamente. Mereces a coragem do amor.
    Beijos, amiga!

    ResponderExcluir