O que está por vir.

Quando acordo, todos os dias eu passo a mão no rosto - nariz, olhos, bochechas, cabelo - para saber se quem está ali sou mesma e vasculho pensamentos atrás das coisas ou pessoas pelas quais valha a pena levantar.É nesse ínterim que sempre me atraso para os afazeres banais.

Ando muda até o banheiro, ainda dormindo, lavo o rosto enquanto enumero tarefas, sublinhando mentalmente em vermelho as da semana passada, que foram adiadas.Faço setas de lumi color nas mais atraentes, nas quais darei preferência.E faço um garrancho das tarefas mais chatas que empurrarei para depois até que não haja mais depois.

'Entre ter insônia sozinha ou acompanhada, eu prefiro a primeira

As pendências dos meus últimos anos planam sobre o travesseiro toda a noite e fazem barulho no meu ouvido.Ligo o ventilador e sinto frio.
Há no mundo poucos tão angustiados quanto os insones.Soube que meu tipo de insônia é o mais difícil de curar: quando deito na cama, custo um pouco a dormir.Mas o problema mesmo, é acordar logo em seguida e seguidas vezes.

Entre ter insônia sozinha ou acompanhada, prefiro a primeira.Se a companhia dorme - e ela sempre dorme - não se pode acender a luz.Pega mal trocar de posição, sentar na cama ou ligar o computador.São mais tristes as lágrimas de quem chora baixinho.E a sensação de abandono.

Durante muitos anos, quis ser a filha que meu pai admirava, a namorada inspiradora, a esposa amante, a mãe exemplar.Houve um tempo em que acreditei ter ao menos um quê de cada.Hoje cedo, quando tomei banho, finalmente me dei conta de que não sou nenhuma delas.Distingui o choro da ducha porque as lágrimas que lavaram o meu rosto arderam feito Merthiolate.
Sou a pessoa com menor instinto de sobrevivência que conheço, quando se trata da minha própria sobrevivência.Por isso sempre me surpreendo quando alguém se poupa de sentir.No dia em que eu conseguir libertar tudo que está aprisionado sob as minhas costelas,talvez abra um clarão onde possa entrar o que ainda está por vir.


One Response to O que está por vir.

  1. Pois é, vim dar uma volta e me sentei embaixo da Árvore, sempre venho aqui apreciar a sombra. Enquanto descanço me alimento com suas raizes, folhas secas e umas frutinhas distraidas que caem ao seu pé dançante. Sim, é uma árvore dançante. Fome saciada com teu texto maravilhoso. Saio aturdido, mas feliz, com tuas palavras ecoando em minha cabeça oca!!!

    ResponderExcluir